A história das Cataratas Vitória


gallery

O grande presente do Dr. Livingstone para a Rainha da Inglaterra


Em 1855, o explorador escocês David Livingstone encontrou essa magnífica catarata enquanto tentava encontrar uma rota para a Costa Oriental do continente africano. Viajando para o sudeste a partir de Luanda para Sesheke, ele encontrou a catarata e a nomeou como Cataratas Vitória, em homenagem à monarca britânica, Rainha da Inglaterra. Livingstone foi levado às cataratas por habitantes da tribo Makalolo, em uma canoa cavada. A poderosa cortina de água que forma as Cataratas Vitória é conhecida pelos locais como Mosi-oa-Tunya, ou "Fumaça que Troveja".

A fumaça trovejante


Logo que as informações de Livingstone sobre as Cataratas Vitória atravessaram as fronteiras, as cataratas começaram a atrair comerciantes ingleses. Uma rústica companhia de comércio foi estabelecida no que hoje formam as margens do rio de Zâmbia e se tornou a cidade original de Cataratas Vitória, chamada de Old Drift. O número de visitantes estrangeiros aumentou muito e as pessoas caminhavam, andavam a cavalo ou viajavam de carro de boi de Transvaal, na África do Sul, para ver as Cataratas. A malária começou a afetar a colônia e, na virada do século, Old Drift foi trocada pela atual cidade de Livingstone, na Zâmbia.

Dr. Livingstone, eu suponho...

Nos catorze anos após sua "descoberta" das Cataratas Vitória, Livingstone embarcou em perigosas aventuras em sua função de explorador, incluindo uma contenda com um leão que lhe custou os movimentos de um dos braços. A falta de contato de Livingstone com o mundo externo por um período de quatro anos gerou preocupações com relação ao seu bem estar e fez com que o New York Herald enviasse Henry Stanley em busca dele.

Stanley atingiu sua meta dia 10 de novembro de 1871, encontrando o explorador em um povoado africano com as palavras imortais: "Dr. Livingstone, eu suponho".

Os dois engrenaram uma amizade que só teve fim quando Stanley retornou à Inglaterra, em 1872, depois de falhar em convencer o intrépido missionário de acompanhá-lo. Dr. David Livingstone morreu dia 1 de maio de 1873, com 60 anos. Ele viajou cerca de 50 mil quilômetros na África, contribuindo consideravelmente com a parte menos conhecida do planeta e, com isso, tornando-se uma das figuras lendárias das Áfricas Meridional e Central.

Ponte das Cataratas Vitória

A Ponte das Cataratas Vitória foi construída em 1905 para unir o que hoje constituem o Zimbábue e a Zâmbia. A ponte foi ideia de Cecil John Rhodes, que queria o que talvez fosse impraticável: "respingos das Cataratas nos vagões de trem”. Infelizmente, ele morreu antes da conclusão da ponte e não visitou esse famoso monumento. A ponte foi projetada pelo Sr. Ralph Freeman, que também projetou a Ponte da Baía de Sydney.

Construído de aço, o arco tem 156,5 metros, com altura de 128 metros sobre a parte inferior das Cataratas. Assim como em Sydney, a ponte transporta carros, trens e pessoas a pé, além de contemplar o famoso Bungi Jump Shearwater, de 111 metros.

A ferrovia incentivou a primeira leva de turistas para as Cataratas, e o Victoria Falls Hotel original foi construído em 1906. Sessenta e seis anos depois, o povoado que crescia foi elevado ao estado de cidade. Um museu ferroviário, ao lado das Cataratas, é uma boa fonte de informações para amantes desse tipo de transporte.

Patrimônio Mundial

Por serem uma das mais espetaculares cataratas do mundo, as Cataratas Vitória foram declaradas Patrimônio Mundial em 1989. Quando o rio enche, o volume das Cataratas Vitória supera o de todas as cataratas do mundo. As Cataratas e a floresta ao redor são preservadas como um Parque Nacional de 23,4 quilômetros e formam um dos quatro locais considerados Patrimônio Mundial do Zimbábue.

 

O que os nossos clientes dizem sobre nós

Telefone-nos

Horários: Aberto Fechado
08:30 - 17:00 (GMT+2)
Grátis:

0808 238 0044

888 2156 556

1 800 447164

1 800 947168

1 844 8517 090

800 900 341

800 101 3310

080 045 2877

800 018 4895

0800 182 3211

0800 562 964

0800 295 105

0800 919 394

0800 721 24

800 260 73

0800 848 229

1 844 2867 643

9009 476 83

0018 005 11710

0800 444 6880

018 0051 81669

0800 7618 612

800 827 648

Número local:

+27 21 469 2600