Prevenção da malária


gallery

Não contraia malária ao visitar o Parque Kruger


Nós não somos médicos, por isso, é importante que você fale com seu médico sobre a prevenção da malária antes de viajar para uma região exposta à doença. As informações a seguir não visam substituir as fornecidas por um médico. O Parque Nacional Kruger fica em uma região contaminada pela malária, mas, se você estiver preparado, deve ser fácil evitar a infecção. Mosquitos e outros insetos são mais ativos nos meses de verão (novembro a março) do que nos meses de inverno. Se tiver preocupações quanto à malária, existem diversas opções de safári que não ficam em regiões com risco de malária, como o Safáris na Rota dos Jardins e o Reserva de Animais Madikwe.

Regra nº 1: Evite ser picado

A regra número um da prevenção da malária é que se você não for picado pelo mosquito, você não contrairá malária. Infelizmente, o mosquito Anopheles fêmea que transmite a malária é um pequeno inseto silencioso, que não emite um zumbido para alertar sua presença. Os mosquitos podem picar a qualquer hora do dia, mas normalmente são mais ativos ao amanhecer e ao anoitecer. Use sprays repelentes e use camisetas de manga comprida e calças de pernas compridas de manhã e à noite. Os mosquitos podem picar se a roupa for de tecido fino e, portanto, é importante passar repelente contra insetos nas partes cobertas e não cobertas da pele.

A maioria dos alojamentos tem janelas e portas com tela, telas para mosquito, ar-condicionado, ventiladores e repelentes elétricos (de tomada). Todos esses elementos ajudam a prevenir a picada do mosquito, mas não devem ser usados isoladamente.

Regra nº 2: Tome comprimidos antimalária se estiver em uma região de malária

É importante observar que nenhum profilático da malária é 100% eficiente, pois os parasitas da malária tornam-se resistentes a várias drogas. Portanto, é vital que você consulte seu médico ou um posto de saúde para saber qual é o melhor profilático para você. Os viajantes devem se lembrar de tomar os comprimidos regularmente e continuar a tomar a dose prescrita de comprimidos, mesmo depois de terem deixado a área da malária.

Cloroquina, Proguanil e Maloprim: em algumas regiões da África (norte da África do Sul), a malária se tornou resistente à cloroquina, por isso, a popularidade desses medicamentos vem caindo e cada vez menos pessoas os tomam.

Mefloquina (Larium): há muitos anos o Larium vem tendo dificuldades. É um profilático da malária muito eficaz, mas precisa ser administrado cuidadosamente, pois pacientes com histórico de distúrbios psiquiátricos podem ter efeitos colaterais desagradáveis.

Malarone: este medicamento profilático praticamente não tem efeitos colaterais e, com uma simples dose diária, está se tornando a escolha mais popular entre viajantes. Além disso, o Malarone foi lançado no Reino Unido em uma fórmula infantil e é o primeiro comprimido contra malária voltado apenas para crianças. Também é licenciado nos EUA, na Dinamarca e está cada vez mais disponível na Europa. A versão infantil é uma dosagem diária única mastigável que deve ser iniciada somente um dia antes do início da viagem.

Esse é o profilático que recomendamos, mas é altamente recomendável que você verifique sua aptidão pessoal com seu médico antes de viajar.

Doxiciclina: este é um antibiótico e para muitas pessoas é uma ótima alternativa aos comprimidos tradicionais contra malária. No entanto, a Doxicilina pode tornar você sensível ao sol, e os efeitos dos antibióticos sobre os comprimidos contraceptivos são bem documentados. Fique alerta... Os viajantes podem voltar de suas férias com mais do que um bronzeado!

Alho, Vitamina B, Chilli: são apenas crenças das nossas avós e definitivamente não devem ser usados como prevenção contra a malária!

Regra nº 3: observe os sintomas e complete sua dose de profilático!

Se você, ao retornar ou durante o restante de sua viagem, sentir qualquer sintoma semelhante à gripe (náusea e vômito, calafrios, febre, sudorese, dor de cabeça ou dor muscular), faça um exame de malária só por precaução. A malária responde bem ao tratamento antecipado. Lembre-se de concluir seu curso profilático, mesmo depois de sair da área da malária.

O que os nossos clientes dizem sobre nós

Telefone-nos

Horários: Aberto Fechado
08:30 - 17:00 (GMT+2)
Grátis:

0808 238 0044

888 2156 556

1 800 447164

1 800 947168

1 844 8517 090

800 900 341

800 101 3310

080 045 2877

800 018 4895

0800 182 3211

0800 562 964

0800 295 105

0800 919 394

0800 721 24

800 260 73

0800 848 229

1 844 2867 643

9009 476 83

0018 005 11710

0800 444 6880

018 0051 81937

0800 7618 612

800 827 648

Número local:

+27 21 469 2600